Quem sou eu

Escritora chilena naturalizada brasileira, bacharel em Artes Visuais e Mestre em Arte Educação. Membro da Academia de Letras do Brasil Santa Catarina - Florianópolis, Membro da Academia Boituvense de Artes e Letras - Boituva - SP, Membro da Confederação de Letras e Artes de São Paulo - CONBLA - Editora Chefe da GAPLA Edições em Santa Catarina - Brasil.

Milka Plaza

Milka Plaza

quarta-feira, 3 de outubro de 2018

Ceifando Vidas

Penso..
Nunca estamos...
Prontos. 
Leituras,
Rezas,
Grupos de oração. 
Carismáticos,
Evangélicos,
Espíritas,
Rezas...
Não importa.
A morte
Chega a galope
Ceifando vidas,
Deixando amigos,
Parentes,
Conhecidos.
Ela vem chegando
Cada vez mais perto,
Entrando em nosso círculo,
Viver o momento
Diz a árvore 
Que me olha
Do outro lado da rua.
Curta os congestionamentos
E o marasmo das pessoas.
Sorria mais,
Diga te amo todos os dias.
Diga bom dia com sorriso no rosto.
Agradeça a Deus por mais um dia
Curta cada momento 
Como se fosse o último. 
Ainda não é sua hora, mas
Esteja pronto
Para quando ela vier.

terça-feira, 2 de outubro de 2018

O Olhar do Pássaro

O pássaro de ferro que estava sobre a mesa de repente ganhara vida. Começou a caminhar por sobre todos os lugares e percebeu que as pessoas escreviam. Sobre mim? Ele pensou. O que sabem a meu respeito? Quando ganhei forma meu mestre me forjou, me dobrou, me modelou, me deu uma razão de ser. Eu me sinto bonito. Um pouco magro às vezes e ridículo quando todos me observam. Diria muitas coisas se tivesse uma voz. Mas, eu converso com todos quando olham diretamente para mim. O olho e o espírito meus e de meu espectador se conectam e entramos em sintonia ou não.

A Flor do Beija-flor

você é a flor
Eu
O beija flor
A flor
A se abrir
Todos os dias 
Manhã linda de sol
Ou de frio outonal
O beija flor
A sobrevoar 
A flor
Se deleitar
No meio
Das folhas
E aromas
Exaladas 
Pela
Planta.
Qual suave aroma
A inebriar 
Afloram
Sensações 
Beija a flor
Beija a flor
Suave
Lento
Ô
Beija flor

sábado, 23 de junho de 2018

Que mal havia?

O frio era intenso naquela tarde que findava. Um casal se acariciava, se abraçava e trocava olhares apaixonados. Várias pessoas olhavam, outros sorriam e se entreolhavam. Era estranha a reação das pessoas. O que havia? O casal se olhava, beijava, abraçava e sorria. Que mal havia? Era o amor em idade avançada. Eram velhos, mas sentiam-se jovens, como nos seus tenros anos.



Escrevo...
Continuamos
nesta vida,
túnel do tempo,
nostálgica caminhada
em honra
aos amigos
que se vão.
Ouço meu amor falar.
Enquanto escrevo
aproveitamos
nosso tempo
enquanto o fim
não vem,

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Corpo e Alma

O quê somos?
Para onde vamos?
toda passagem
tem seus caminhos.
Mórula,
blastula,
gastrula,
a vida
nesta vida.
Infância,
adolescência,
juventude,
madurez,
velhice
a passos lentos
em espaço
tempo.
Aprendizagem
passageira
nesta vida.
Metamorfose,
corpo,
alma,
seres
hetéreos.
Corpo?
Alma?
Saberei
depois.
Se voltarei?
Não sei...
para
contar.

domingo, 22 de abril de 2018

Moradia

Tudo, nada
teto coberto
esconderijo
que é isso?
Direito
a uma casa
segura
segura?
Céu aberto?
Na rua?
Não tenho
teto,
moradia,
sou sem teto.
Moradia.
Ah!
Moradia.

domingo, 11 de março de 2018

Amanhecer

Vamos subir
no jato do ano,
acaba Fevereiro
começam as atividades.
Novas lutas,
descobertas,
o que vai ser?
Literaturas,
aulas,
caminhos a desvendar.
Alegrias,
tristezas,
novos amanheceres,
o novo ano...
que virá.