Quem sou eu

Trabalhamos com filmagens de documentários e curtas, além de apresentações de teatro, Oficinas de dança e expressão corporal, criação literária e arte-educação.

Milka Plaza

Milka Plaza

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

FELIZ 2013!

E o mundo não acabou. Quem diria!
O calendário Maia causou muita angústia nas pessoas. Quem sabe não estivessem errados no mundo deles.
Desejo a quem me ler, muita paz, alegrias e bastante produção em todo sentido. A saúde é a maior riqueza e também desejo isso pois, sem ela não poderiamos concretizar nossos projetos.
Apartir de Janeiro escreverei desde o Chile já que irei com meu grupo de pesquisa apresentar nossos trabalhos na Universidade de Santiago do Chile. Vida longa para todos, boas férias para a maioria, nos veremos no teatro em Fevereiro onde apresentarei com a Cia. de teatro Letras no Jardim "O Imaginário de Franklin Cascaes e outros contos" no teatro da UBRO no dia 24 de Fevereiro às 17:00h.
Beijo no coração,
Milka.

sábado, 15 de dezembro de 2012

Feliz Natal


São poucos os que falam a respeito do Natal. Muitos estão mais preocupados com as compras de Natal, visitas a Shopping Centers e com sorteios de carros e outros.
Há dois mil e doze anos atrás nasceu um menino numa manjedoura. Um menino bom que queria mudar o mundo como quase a maioria dos sonhadores que conheço. A luta dele não era com armas e sim com palavras. Pena que naquela época não foi bem compreendido e como todo revolucionário das massas incomodou muita gente. Ficaram seus preceitos.
As lutas continuam. Desejo a todos os lutadores por um mundo melhor que possam realizar suas conquistas no ano que vem e que neste Natal ganhem força necessária do Espírito Santo que sei que visita os lares das famílias em algum momento de recolhimento. Quando digo famílias me refiro não só às famílias tradicionais, mas também às agremiações, grupos de trabalhos voluntários, asilos, entidades sem fins lucrativos, pessoas ativistas e inclusivas que trabalham com pessoas de necessidades especiais.
FELIZ NATAL!
Bj.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Obrigada Palhoça


Agradeço à Secretaria de Educação e Cultura da cidade de Palhoça pelo certificado e a medalha cedidos à minha pessoa.  Realmente é um grande incentivo para continuar a trabalhar pela cultura.
O maior legado que podemos entregar à medida que vamos adquirindo é o conhecimento.

sábado, 17 de novembro de 2012

Justiça seja feita

Estou estudando, na disciplina do mestrado, acerca de psicologia infantil. Como é importante o que ensinamos a uma criança principalmente até os 10 anos de idade. Até então ela armazena dados e imagens, imita e se descobre. Depois dos 10 anos começa a ter ideias mais concretas e também um pouco de critério comum. Já sabe, teoricamente, o que é certo e errado.
Os heróis são idolatrados e é preciso ter cuidado com esses falsos heróis.
Quando participava da peça O livro do Destino no auditório da Biblioteca Pública, tive que fazer o papel de uma pessoa que reclamava da vida. De repente aparecia uma fada e me entregava um livro que permitiria alterar a página da minha vida. Eu poderia pedir o que quisesse. Ao invés disso, meu personagem encontrava a página de seus desafetos e alterava para pior a página da vida deles. Resumindo, a fada retira o livro de mim e vai embora e o personagem fica reclamando e chorando novamente. Quando acabou a peça todos foram embora menos um menino que devia ter uns oito anos mais ou menos. Ele aguardou todos saírem e foi conversar comigo e me disse que não achava justo o que tinha acontecido e que eu tinha o direito de escrever na minha página. Tive que chamar a fada que já estava trocando de roupa e "pedimos" a ela para me emprestar o livro. 
Cuidado com o que dissermos a nossas crianças.
Bj.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Lembranças

A escova de dentes jazia triste e solitária no estojo que sempre viajava dentro daquela triste mochila. Me liberte, me liberte parecia gritar mentalmente. De tão solitária e triste ficara roxa de frio. Nunca mais fora usada. A dona tinha morrido e ela ficara aí prisioneira para sempre.
Porque escrever sobre uma escova de dentes? Já pensaram na importância dela?
Automaticamente todos os dias escovamos os dentes e trocamos de escova de dentes quando esta fica toda "descabelada". Já pensou se os objetos fossem animados e assim como nós nos apegamos às pessoas estes também se apegassem a nós?
Que triste desenlace. Às vezes nos apegamos às coisas porque nos trazem lembranças de algo ou alguém ou não nos desfazemos deles porque são o único objeto que nos une a um ser querido.
Quão solitárias são algumas pessoas e tristes também.


sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Fábula

Escrevi este texto durante a Oficina Literária Letras no Jardim.  É uma fábula engraçada. Lá vai:

O joão de barro trabalhava arduamente na construção do seu ninho. Para ele era uma linda mansão onde levaria sua adorável donzela. Magricela, que era como se chamava a noiva, não via a hora de se casar. Ornelo era charmoso e muito amoroso. Depois do casamento os dois foram morar na casa nova. Para espanto de Ornelo ela não gostava de dormir e passava tagarelando o tempo todo, o que lhe valeu o apelido junto à passarada de "Magricela a tagarela".

Moral da história: "mais vale conhecer os vizinhos antes de construir seu ninho".

Bj.



domingo, 16 de setembro de 2012

O Instante

Certa vez consegui parar o tempo. Ainda lembro como foi.
Se você respirar fundo e aguentar a respiração e fixa o olhar num ponto e se concentra bem, o tempo para. Pode me chamar de louca mas é verdade. O instante é aquele momento que guarda passado, presente e futuro num mesmo ponto. O tempo paralisa e você consegue concentrar a energia. É algo mágico.
Segundo o dicionário Aurélio, o instante é um momento muito breve.
Quando você consegue prender o instante ele dura uma eternidade. Sabemos pela física que a medida do tempo "não existe!". Ela foi criada pelos homens da terra para medir "seu " tempo e cronometrar seu dia com o intuito de organizar os momentos.
Se o tempo não existe, então, o instante, pequeno momento, pode vir a se tornar uma eternidade.

Cada momento
é um instante
cada energia
uma constante
o tempo passa
a cada dia
a vida nasce
nesta corrida. (Milka)

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Teatro na escola

 Escola Básica do Rio Tavares
Hoje, quarta-feira, nos apresentamos pela Companhia de Teatro Letras no jardim na Escola Básica do Rio Tavares com a peça Franklin Cascaes e outros contos. Foi muito gratificante levar histórias do imaginário do artista para as crianças. Sabemos como é importante manter a cultura de um povo sempre viva. 

As crianças gostaram muito e participaram no final de cada apresentação.

domingo, 9 de setembro de 2012

Nada


Quem somo nós? O que somos?
Sim, matéria orgânica.
Neste nosso mundo pequeno e minúsculo
onde os humanos teimam em se agredir.
Vi a imensidão do universo e as infinitas galáxias
seus buracos negros e quasares.
Vi um mundo infinito com estrelas nascendo e morrendo.
Vi galáxias se fundindo, lançando para o infinito planetas que antes orbitavam em harmonia.
Que somos nós? Tanta soberba, ódio, alegrias.
Não somos nada. Vivemos para aprender e saber
que não levamos nada desta vida a não ser os ensinamentos de cada instante apresentado
pelo nosso destino.

sábado, 1 de setembro de 2012

A Lua

Ainda consigo ver o coelho disse a menininha.
Menininha,
menininha,
que pulas
nas ondas da vida.
A lua é cheia
e te envolve
com seus raios
que se refletem
nos rios e lagos.
Tenebrosa é a noite cinza
que seduz e sufoca
como os raios da lua.


quinta-feira, 26 de julho de 2012

Um dia

Luzes esparsas no céu que chora.
Pare diz a placa
do dia a dia de nossas vidas.
Pare para pensar e respirar
como diz a música de nossos dias
que viram como curvas
numa estrada verde e cheia de pontas
que espetam como dentes afiados
a lembrar
nossa luta diária.

Dia do Escritor

Dia do escritor quem diria?
Hoje, 25 de Julho, escrevo com orgulho e paixão.
Paixão pelas letras e o saber,
saber que encanta e espanta,
cada dia que passa,
do passado e do porvir.
Anoitecer de encanto e embalo das palavras...
e do dizer.
Amanhecer da energia e do poder da caneta...
que escreve.
E...
da mente...
que não se cansa
de cantar
no embalo das sinuosidades
das rimas e prosas
deste andar pela vida.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Lua Cheia

Ô lua branca radiante e formosa
de brancas brancuras
radiante e radiosa emanas tua luz.
Como feiticeira enfeitiças
Encantas, fascinas e deixas prendado
quem se prende ao se ver refletido em ti.
Cheia iluminas a noite escura
com tua candura candente,
calorosa de cândida candidez.
E canto e rio e danço
e alço voo no meu sonho
Sonhado sideral.   Milka

domingo, 10 de junho de 2012

Liberdade


A imagem do cavalo dá a sensação de liberdade.  Ser livre é agir de acordo com sua natureza. Cavalos não castrados são potros e potros selvagens aqueles que ainda não foram domados.
Então o que é liberdade? É ser cavalo?
Longe disso! Na natureza ele representa a liberdade de poder correr nos campos e ser dono dele mesmo e ser o líder de sua manada.
Para as pessoas é o direito de ir vir sem ter que dar satisfação para ninguém. Será que isso existe?
Uma vez alguém me disse que o preço da liberdade é a solidão. Será?
Depende da pessoa...
Para Spinoza (Filósofo que nasceu em Amsterdã), a liberdade possui um elemento de identifição com a natureza do "ser". Nesse sentido, ser livre significa agir de acordo com sua natureza.É mediante a liberdade que o Homem se exprime como tal e em sua totalidade. Esta é também, enquanto meta dos seus esforços, a sua própria realização. Tendemos a associar a fruição da liberdade a uma determinação constante e inescapável. Contudo, os ditames de nossa vida estão sendo realizados a cada passo que damos, assim a deliberação está também a cargo da vontade humana (na qual se inserem as leis físicas e químicas, biológicas e psicológicas). Diretamente associada a ideia de liberdade, está a noção de responsabilidade, vez que o ato de ser livre implica em assumir o conjunto dos nossos atos e saber responder por eles.
É isso! Saber muito bem responder por eles e ter consciência do que se faz e sem arrependimentos.
Mesmo que não queiramos a sociedade nos reprime com se fosse um ser vivo. Fica a pergunta: existe a liberdade? Ou é uma simples utopia?
Bj.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Saudade

Penso que uma das palavras mais lindas do idioma português seja saudade. Esse sentimento tão profundo e às vezes melancólico que não pode ser medido.
O que nos leva a isso? A distância que nos separa de um ser amado, querido, um lugar, uma situação? Um gosto, um prato, uma amizade, enfim, tantas coisas, momentos ou situações.
Sentimento que vem do íntimo de nosso ser.
Segundo os livros de botânica, "saudade" é o nome vulgar de várias plantas da família das Dipsacáceas e das Compostas, como as saudades-brancas, que aparecem nos campos e nas vinhas do Sul de Portugal, e é também conhecida por suspiros-brancos-do-monte, as saudades-perpétuas, cultivadas no Sul de Portugal e as saudades-roxas (plantas da família dasDipsacáceas, que aparecem nos terrenos secos e pedregosos, também conhecidas por suspiros-roxos).
Mesmo assim, só as flores têm as cores. Saudade tem cor? Penso que seja cinza e chuvosa. A saudade mata. Como vencê-la? Uma vez disse a uma pessoa que uma maneira seria escrevendo sobre algo ou alguém que nos faça brotar esse sentimento. Serve também elaborar um desenho ou escrever um poema. Por favor não bebam que aí aparece a vontade de chorar. A melhor forma de matar a saudade e indo visitar esse algo ou alguém, ou ligar ou enviar um e-mail. Se morreu? Faça uma oração e visite seu túmulo. Se é longe? Escreva um poema, faça um desenho,.............só não vale chorar.
Bj.