Quem sou eu

Escritora chilena naturalizada brasileira, bacharel em Artes Visuais e Mestre em Arte Educação. Membro da Academia de Letras do Brasil Santa Catarina - Florianópolis, Membro da Academia Boituvense de Artes e Letras - Boituva - SP, Membro da Confederação de Letras e Artes de São Paulo - CONBLA - Editora Chefe da GAPLA Edições em Santa Catarina - Brasil.

Milka Plaza

Milka Plaza

domingo, 10 de junho de 2012

Liberdade


A imagem do cavalo dá a sensação de liberdade.  Ser livre é agir de acordo com sua natureza. Cavalos não castrados são potros e potros selvagens aqueles que ainda não foram domados.
Então o que é liberdade? É ser cavalo?
Longe disso! Na natureza ele representa a liberdade de poder correr nos campos e ser dono dele mesmo e ser o líder de sua manada.
Para as pessoas é o direito de ir vir sem ter que dar satisfação para ninguém. Será que isso existe?
Uma vez alguém me disse que o preço da liberdade é a solidão. Será?
Depende da pessoa...
Para Spinoza (Filósofo que nasceu em Amsterdã), a liberdade possui um elemento de identifição com a natureza do "ser". Nesse sentido, ser livre significa agir de acordo com sua natureza.É mediante a liberdade que o Homem se exprime como tal e em sua totalidade. Esta é também, enquanto meta dos seus esforços, a sua própria realização. Tendemos a associar a fruição da liberdade a uma determinação constante e inescapável. Contudo, os ditames de nossa vida estão sendo realizados a cada passo que damos, assim a deliberação está também a cargo da vontade humana (na qual se inserem as leis físicas e químicas, biológicas e psicológicas). Diretamente associada a ideia de liberdade, está a noção de responsabilidade, vez que o ato de ser livre implica em assumir o conjunto dos nossos atos e saber responder por eles.
É isso! Saber muito bem responder por eles e ter consciência do que se faz e sem arrependimentos.
Mesmo que não queiramos a sociedade nos reprime com se fosse um ser vivo. Fica a pergunta: existe a liberdade? Ou é uma simples utopia?
Bj.

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Saudade

Penso que uma das palavras mais lindas do idioma português seja saudade. Esse sentimento tão profundo e às vezes melancólico que não pode ser medido.
O que nos leva a isso? A distância que nos separa de um ser amado, querido, um lugar, uma situação? Um gosto, um prato, uma amizade, enfim, tantas coisas, momentos ou situações.
Sentimento que vem do íntimo de nosso ser.
Segundo os livros de botânica, "saudade" é o nome vulgar de várias plantas da família das Dipsacáceas e das Compostas, como as saudades-brancas, que aparecem nos campos e nas vinhas do Sul de Portugal, e é também conhecida por suspiros-brancos-do-monte, as saudades-perpétuas, cultivadas no Sul de Portugal e as saudades-roxas (plantas da família dasDipsacáceas, que aparecem nos terrenos secos e pedregosos, também conhecidas por suspiros-roxos).
Mesmo assim, só as flores têm as cores. Saudade tem cor? Penso que seja cinza e chuvosa. A saudade mata. Como vencê-la? Uma vez disse a uma pessoa que uma maneira seria escrevendo sobre algo ou alguém que nos faça brotar esse sentimento. Serve também elaborar um desenho ou escrever um poema. Por favor não bebam que aí aparece a vontade de chorar. A melhor forma de matar a saudade e indo visitar esse algo ou alguém, ou ligar ou enviar um e-mail. Se morreu? Faça uma oração e visite seu túmulo. Se é longe? Escreva um poema, faça um desenho,.............só não vale chorar.
Bj.