Quem sou eu

Trabalhamos com filmagens de documentários e curtas, além de apresentações de teatro, Oficinas de dança e expressão corporal, criação literária e arte-educação.

Milka Plaza

Milka Plaza

domingo, 8 de novembro de 2015

Forma que deforma

Figura
que mexe
as entranhas
da minha alma.
Pára!
Pára!
Cabeça
que se assoma
e se assoma...
Lindo,
lindo.
Abençoado
momento
plástico.

domingo, 11 de outubro de 2015

Pensamentos

Curvas da vida

perigosas ou não
setas que apontam
o meu caminhar.
Sinais marcados
que traçam um rumo
um pulo
que amorteça
erros
acertos
no andar
reto
das
vias entrecortadas
deste trajeto

---------------------------

Dez

pontas,
linhas,
dentes,
madeira
amarela
linhas
marcam
teu corpo
ganinapapo
tatuagem
que queima

----------------------------------

Colagens

Imagens coladas
coloridas
relaxe
uma edição
limitada
garanta o futuro
você está
sozinho.
De braços
cruzados
inúmeras pessoas
emergem.
Espelho
que reluz
suave vôo
em cada
amanhecer.
Evoco a música
que vem do alto
das nostas
na memória.
Fantasmas
da noite
a lembrar
num sussurro
sideral
a vida
é feita de recortes
e medida
com ferros
e engrenagens.
--------------------------------

Notas incertas

Treze graves e agudos
que apontam como setas
sons que brincam
como o vento
nas curvas
a se levar
anteparo branco
como filtros
de cigarros
de vários tamanhos.
Sons verdadeiros
ruído desordenado
confuso
como a chuva
de pensamento
a inundar
como torrente
chuvosa
a cair
na noite escura
ou clara
do sendeiro
que vai e vem
todo dia.


sábado, 1 de agosto de 2015

Versos Livres

Caminhos
Prados
Águas refrescantes.
Vento,
brisa que acalenta.
Movientos,
árvores,
folhas,
flores,
pétalas,
céu infinito
que se perde
no suave sentir
das folhagens
e
nos seres
que observam.
Tudo
que contém a terra:
vida,
animais,
alegrias,
tristezas,
claros,
escuros,
linhas
e pontos.
Tudo...
é de você.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

El Corredor

Corria despavorido
el hombre
con los pantalones
en la mano.
Su algoz
corria atrás
a pocos pasos,
con un cuchillo...
enorme.
En la playa
las personas miravan
con cierta
curiosidad.
Creaban en sus mentes,
idílios,
momentos...
de pasión
o traición.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Tramas


Enlaçadas num ritmo constante
os pontos que entram e saem.
Sintonia ímpar e par
de dedos e agulha que se mesclan.
Parede que não se deixa penetrar,
alma humana submersa
em pensamentos oblíquos
que se confundem
no nada e em tudo
das constelações
que emergem na noite escura.
Plasma que se submete ao agito cotidiano
do ir e vir emaranhado
de lutas constantes de sobrevivência.
Pontos que tramam uma trama
de vida aparente.
Látigo
que irrompe no silêncio da alma
escura e serena de quem observa
o desenlace da vida corrida
infantil adulta e senil
de 
quem ja cumprou a passagem de ida
que não volta.



quarta-feira, 24 de junho de 2015

Entrevista no Programa Aromas de Versos - España

Entrevista realizada para o programa de rádio Aromas de Versos.
Esta entrevista foi realizada junto com Amara Martino, Claudia Silva e Giovanna Massaro. Quem nos entrevistou foi Manuel Mendes Hernandez de Castellón-España.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

O Menino e o Lobisomen

Gritos terríveis se ouviam à noite. O silêncio profundo era quebrado por soluços e gemidos que estremeciam os arredores. Barulhos externos e um arrastar de objetos eram capazes de se ouvir atentamente. Mistérios envolviam essas noites que não eram de lua cheia e sim, de lua crescente. Cresciam esses ossos e doíam naquele menino que se contorcia e gritava para desespero daquela mãe que via com agonia o corpo mutante de seu filho.

sábado, 14 de março de 2015

Andares

Sapatos
que andam
pelas estradas
da vida.
Novidades?
Que trazem?
De onde vem?
Para onde vão?
Trazemos novidades
andares,
alegrias,
novidades!
Vocês sabem!
Não!?
Sim?
Maldade!
Silêncio
Suspense
Todos os dias
                                                 Subimos
                                                 descemos,
                                                 escadas,
                                                 ladeiras,
                                                 Acompanhamos
                                                 os pés
                                                 de quem nos penetra.
                                                 E.....
                                                 seguimos andando...
                                                 Sempre!

Verde mar

Espuma
que balança
o barco
da vida.
Vai,
vem,
tudo bem.
Brisa
do mar
que penetra
entranhas,
ouvidos,
mentes.
Verde
musgo
agito no corpo
que mexe
remexe
o interior
do seu
do meu
do nosso,
ser.

Espinhos

Um dia foste bela,
jovem,
brilhante,
altiva,
fragrante.
Vida que vai
deixa suas marcas.
Balançando
ao sabor do vento
com espinhos
em teu corpo
esbelto.
Vida
com espinhos.
Rosa
sem
espinhos.
Pessoas sem/ com espinhos,


terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Pólen

Calor
emoção,

Flores 
guardam vida,
sementes,
pólen
a se reproduzir.
Vida 
que nasce
em cada
manhã,
que também
se renova
no orvalho
do noite,